Região Sul/ES,


Busca

CLIMA • Mundo

Ocorrência de eventos climáticos extremos se multiplicou por 5 nos últimos 50 anos

O braço das Nações Unidas para questões do clima contabilizou mais de 11 mil eventos como secas, enchentes, deslizamentos de terra, tempestades e incêndios de 1970 a 2019

Por Folhapress | 02.09.2021

Ocorrência de eventos climáticos extremos se multiplicou por 5 nos últimos 50 anos

Na esteira de alertas que têm desenhado a urgência do combate à crise do clima, relatório publicado pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) nesta quarta (1º) traduz em números o impacto que mudanças como o aquecimento global têm tido na ocorrência de eventos extremos nos últimos 50 anos.

O braço das Nações Unidas para questões do clima contabilizou mais de 11 mil eventos como secas, enchentes, deslizamentos de terra, tempestades e incêndios de 1970 a 2019. Mas, enquanto nos anos 1970 foram 711 desses fenômenos, na década de 2000 o número passou a 3.536 -um aumento de cinco vezes.

Como consequência deles, há uma soma de mais de 2 milhões de mortes e um prejuízo econômico que ultrapassa US$ 3,4 trilhões (R$ 17,5 trilhões). Espraiando os números absolutos, é como se, a cada dia dos últimos 50 anos, 115 pessoas tenham morrido e mais de US$ 200 milhões de prejuízo fossem gerados por desastres naturais.

As inundações correspondem pelos principais desastres registrados (44%), seguidas por tempestades tropicais (35%). As perdas humanas em decorrência desses eventos estão majoritariamente concentradas nos países em desenvolvimento -de acordo com a classificação da ONU-, onde estão 91% das mortes.

A conclusão a se extrair dos dados, segundo o físico da USP Paulo Artaxo, referência em crise climática, não chega a ser novidade -os alertas sobre o que governos e empresas precisam fazer já estão dados, por entidades como o IPCC (sigla em inglês para Painel Intergovernamental de Mudança do Clima da ONU).

"A leitura é muito clara. Temos que reduzir as emissões de gás de efeito estufa o mais urgentemente possível se não quisermos impactos socioeconômicos gigantescos."

Na comparação regional, o continente asiático tem uma incômoda dianteira. Foram mais de 3.400 desastres contabilizados ao longo das últimas cinco décadas, o que levou a quase 1 milhão de mortes. Na América do Sul, à frente apenas da Oceania, foram 867 eventos climáticos extremos, com um saldo de 58 mil vítimas.

O Brasil, em parte pela extensão territorial, é o líder sul-americano. Desde 1970, foram 193 eventos extremos no país -uma média de quatro por ano. E é em território brasileiro que foi registrado o desastre mais caro da América do Sul, em termos econômicos: uma seca no Sudeste do país em 2014 que, segundo compilado pela OMM, acumulou perdas de mais de US$ 5 bilhões.

Artaxo afirma que se acumulam evidências claras da vulnerabilidade brasileira à emergência climática. A estiagem histórica no Sudeste e no Centro-Oeste nos últimos meses -responsável por uma crise energética-, o aumento do nível do mar e a desertificação no Nordeste são alguns dos exemplos.

"O Brasil tem um plano estratégico de adaptação às mudanças climáticas que, por enquanto, está no papel, e o governo brasileiro não está atuando no sentido de proteger a população brasileira desses riscos enormes." A gestão Jair Bolsonaro tem sofrido pressão internacional para se mostrar mais atuante nesse setor, em especial na questão do desmatamento, e recebe críticas pelo discurso antiambiental do presidente.

Em meio ao amontoado de números crescentes, há uma comparação inversa: a quantidade proporcional de mortes caiu, ainda que os eventos extremos tenham acelerado. Enquanto na década de 1970 a cifra foi de 50 mil, na década de 2010 foi de menos de 20 mil.

Atribuída em grande parte à prevenção, com sistemas aprimorados de alerta precoce, a melhora foi caracterizada como uma "mensagem de esperança" pelo secretário-geral da OMM, o finlandês Petteri Taalas. Ao mesmo tempo, porém, ela é descrita com cautela no próprio relatório por uma análise adicional assinada pela OMS (Organização Mundial da Saúde): "A mudança climática ameaça reverter o progresso que a comunidade da saúde pública global vem fazendo contra muitas doenças e aumentar os desafios de resposta a emergências naturais".

A ressalva destaca ainda a situação de países com maiores dificuldades econômicas e de infraestrutura. "O progresso foi alcançado na redução dos riscos de desastres, e isso levou à redução da mortalidade. Ainda assim, altos níveis de vulnerabilidade a eventos perigosos permanecem."

A prevenção aos impactos de eventos extremos, segundo a OMM, pôde ser observada no furacão Ida, que passa pelos Estados Unidos desde o último fim de semana e deixou ao menos cinco mortes e mais de 1 milhão de pessoas sem energia elétrica no estado de Louisiana.

Enquanto ainda calculam as perdas, autoridades locais têm discursado sobre o êxito de algumas estruturas erguidas após a passagem do furacão Katrina, há 16 anos, que deixou 1.800 mortes. Ainda assim, a ONU projetou nesta quarta que o Ida seja o desastre climático mais caro da história.

A rápida intensificação dos ventos e das chuvas do Ida alertou cientistas americanos, que chamam a atenção para o agravamento desse tipo de fenômeno com o aumento da temperatura dos oceanos gerado pelo aquecimento global.

Morre o ator Luis Gustavo, aos 87 anos
Cultura

Morre o ator Luis Gustavo, aos 87 anos

SpaceX divulga primeiras fotos dos tripulantes civis no espaço
TECNOLOGIA

SpaceX divulga primeiras fotos dos tripulantes civis no espaço

Alemanha libera de quarentena turista do Brasil vacinado com Coronavac
VACINAS

Alemanha libera de quarentena turista do Brasil vacinado com Coronavac

Mulher morre após ser arrastada por metrô por causa de coleira de cão
Escolha uma categoria

Mulher morre após ser arrastada por metrô por causa de coleira de cão

Vacinas são a melhor maneira de proteger crianças e adolescentes, diz Mandetta
PANDEMIA

Vacinas são a melhor maneira de proteger crianças e adolescentes, diz Mandetta

Queiroga diz que partiu de Bolsonaro orientação para rever vacina de adolescentes
VACINAÇÃO

Queiroga diz que partiu de Bolsonaro orientação para rever vacina de adolescentes

Lula teria 56% no 2º turno contra 31% de Bolsonaro, mostra pesquisa Datafolha
POLÍTICA

Lula teria 56% no 2º turno contra 31% de Bolsonaro, mostra pesquisa Datafolha

Samarco participa com dois novos desafios da terceira edição do Findeslab
Escolha uma categoria

Samarco participa com dois novos desafios da terceira edição do Findeslab

Eco 101 promove ações na Semana Nacional de Trânsito
Trânsito

Eco 101 promove ações na Semana Nacional de Trânsito

Na reta final, paisagismo será a nova etapa das obras no balneário de Castelhanos
Cidade

Na reta final, paisagismo será a nova etapa das obras no balneário de Castelhanos

Governador apresenta Plano de Investimentos a prefeitos e lideranças da região Litoral Sul
POLÍTICA

Governador apresenta Plano de Investimentos a prefeitos e lideranças da região Litoral Sul

Itapemirim promove grande mutirão no Dia Mundial da Limpeza
Meio Ambiente

Itapemirim promove grande mutirão no Dia Mundial da Limpeza

PM participa de reunião da Repas em Guarapari
POLÍCIA

PM participa de reunião da Repas em Guarapari

Secretaria Municipal de Agricultura realiza reparos em estradas no interior de Marataízes
ESTRADAS

Secretaria Municipal de Agricultura realiza reparos em estradas no interior de Marataízes

Em jogo protocolar, Flamengo despacha Grêmio e avança na Copa do Brasil
COPA DO BRASIL

Em jogo protocolar, Flamengo despacha Grêmio e avança na Copa do Brasil

Projeto Construir, da Prefeitura de Marataízes e faculdade Pitágoras, realizam ação
Parcerias

Projeto Construir, da Prefeitura de Marataízes e faculdade Pitágoras, realizam ação

PIB capixaba acumula crescimento de +7,9% no ano e supera desempenho nacional
Economia

PIB capixaba acumula crescimento de +7,9% no ano e supera desempenho nacional

Rua no bairro Jardim Itapemirim, em Cachoeiro, recebe asfaltamento na sexta-feira (17)
Infraestrutura

Rua no bairro Jardim Itapemirim, em Cachoeiro, recebe asfaltamento na sexta-feira (17)

Governo do Estado lança portal que reúne informações de todos serviços públicos ofertados à população
TECNOLOGIA

Governo do Estado lança portal que reúne informações de todos serviços públicos ofertados à população

Canabidiol será testado contra efeitos pós-covid-19
PANDEMIA

Canabidiol será testado contra efeitos pós-covid-19

Vídeos
-->